Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1881
Italy 5419
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2600
France 8202
Spain 1060
Ireland 262
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Monitorização on-line da Gripe

Em 2003, comunicadores de ciência e investigadores holandeses e belgas criaram o primeiro sistema de monitorização on-line em permanência, com questionários de perfil e sintomas preenchidos diretamente pela população (GriepeMeting). Dois anos depois, Portugal adotou o sistema, introduziu-lhe melhoramentos e otimizou a plataforma computacional (Gripenet). As equipas holandesa, belga e portuguesa partilharam o sistema com colegas na Itália (que lança o Influweb) e no Reino Unido (Flusurvey). Juntos, criaram o consórcio Influenzanet  obtendo o apoio da Comissão Europeia (7º Programa Quadro de Investigação) para um projeto alargado denominado Epiwork. O objetivo é alargar a plataforma Gripenet/Influenzanet  a toda a Europa. O projeto Epiwork deverá estar concluído em 2012.

Entretanto, durante a época 2009/2010, em plena pandemia, o Gripenet disseminou o sistema de monitorização online ao México (Reporta) e ao Brasil (GripenetBrasil). As autoridades de saúde de Montreal, no Canadá (Grippe Montreal) adotaram o sistema, pela primeira vez, à escala de uma grande metrópole.

De forma independente, na Austrália, é desenvolvido desde 2007 o FluTracking , uma versão menos complexa do que o Gripenet, assente em mensagens de correio electrónico para recolha de sintomas gripais junto dos voluntários.

Surgiram ainda sistemas de análise indireta de dados, a partir de ‘inputs’ de utilizadores de serviços de Internet ou hospitalares. No caso norte-americano do AEGIS, uma robusta plataforma cruza e analisa uma grande variedade de dados provenientes de serviços de saúde em rede, de forma a detetar anomalias – este sistema não se destina apenas à gripe, tendo sido concebido para detetar eventuais casos de bio-terrorismo. Por fim, a Google lançou há dois anos o  Flu Trends, que tira partido das buscas por palavra correlacionadas com a gripe para identificar “zonas quentes” do ponto de vista epidemiológico.