Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 2390
Italy 0
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2660
France 6077
Spain 1063
Ireland 0
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Estirpes e Imunidade Cruzada

Os vírus Influenza, aqueles que provocam a gripe, não se mantêm sempre iguais ao longo do tempo. Se fossem sempre iguais, o nosso sistema de defesas, ou sistema imunitário, reconhecê-los-ia logo mal fossemos infetados, e trataria imediatamente de o combater. Assim, esse vírus deixaria de ser perigoso para nós porque nos tornávamos imunes a ele e nunca mais nos causaria qualquer doença. Mas os vírus sofrem alterações genéticas designadas mutações gerando estirpes, ou variantes, diferentes. Assim o nosso sistema imunitário deixa de os reconhecer e eles podem voltar a causar-nos uma gripe.

Resumindo, o nosso organismo, quando infetado por uma determinada estirpe, não volta a ser infetado por ela - adquire, portanto, imunidade específica total; se infetado por um vírus parecido com um que já nos infetou no passado, a probabilidade de ficarmos doentes é menor. Isto acontece porque o nosso organismo registou as características do vírus que nos havia infetado e, se reconhece algum parecido, tenta de imediato combatê-lo.

É a isto que os epidemiologistas chamam imunidade cruzada.

Temos assim uma forma de medir se os vírus são próximos ou não.

Os vírus Influenza, na natureza, estão agrupados em conjuntos de estirpes próximas. Estes conjuntos são conhecidos como "clusters".