Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1877
Italy 5195
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2597
France 12202
Spain 1058
Ireland 262
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Síndrome Respiratória do Médio Oriente por coronavírus

Síndrome Respiratória do Médio Oriente por coronavírus

Em abril de 2012 as autoridades de saúde internacionais foram alertadas para o aparecimento de um novo coronavírus: MERS-CoV - Middle East Respiratory Syndrome Coronavirus (denominação em língua inglesa).

A propósito da atividade epidémica devida ao novo coronavírus, Síndrome Respiratória do Médio Oriente por coronavírus, a Direção-Geral da Saúde (DGS) divulga, através de comunicado de 27 de março de 2015, que em Portugal, até à data do comunicado, não foi identificado nenhum caso de infeção por este novo vírus e salienta os seguintes aspetos:

• O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças atualizou, em março de 2015, a avaliação de risco, após a notificação, pelas Autoridades de Saúde alemãs, de um caso da doença num viajante regressado do Médio Oriente. Segundo aquele organismo, o nível de risco de importação de casos para a Europa mantém-se baixo.

• Desde abril de 2012, foram notificados mais de mil casos confirmados de infeção por MERS-CoV, incluindo mais de 400 óbitos. A maioria dos casos ocorreu no Médio Oriente (Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Qatar, Jordânia, Omã, Kuwait, Egito, Iêmen, Líbano e Irão). Todos os casos reportados fora do Médio Oriente têm uma história de viagem recente para aquela região ou contacto com um caso confirmado. Foram, até à data, diagnosticados 15 casos, em vários países europeus. 

• A incidência de casos de MERS-CoV aumentou durante o mês de fevereiro do ano corrente, à semelhança do que tinha acontecido no início de 2014, sugerindo a existência de um perfil sazonal.

• A fonte da infeção e o modo de transmissão ainda não foram inteiramente esclarecidos. No entanto, estudos recentes apontam para que o camelo possa ser a espécie reservatória ou hospedeira para o MERS-CoV e que este esteja envolvido na transmissão direta ou indireta aos seres humanos. A maioria dos casos MERS-CoV são casos secundários e muitos resultam de transmissão nosocomial (i.e. transmissão em hospitais

• Não existem, por ora, recomendações internacionais para restrições de viagens ou de trocas comerciais.

• Os viajantes que tiverem regressado de um país da região afetada há menos de 14 dias e que desenvolvam febre, sintomas respiratórios (incluindo tosse ou dispneia) ou diarreia devem contactar o seu médico assistente ou ligar para a Saúde 24 - 808 24 24 24, referindo sempre o local de onde regressaram.

Os viajantes para países da região afetada do Médio Oriente, devem ser aconselhados a seguir recomendações gerais que diminuam o risco de infeção, nomeadamente:

• Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país de destino;

• Lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou com uma solução de base alcoólica, antes e depois de tocar em animais;

• Evitar o contacto com camelos bem como com outros animais;

• Evitar o consumo de produtos animais crus ou mal cozidos;

• Consultar um médico se apresentar febre, tosse ou dificuldade respiratória;

• Se necessário, consultar a embaixada, consulado ou representação diplomática portuguesa no país de destino.


Para saber mais, consulte:

ECDC - European Centre for Disease Prevention and Control http://ecdc.europa.eu/en/healthtopics/coronavirus-infections (Em inglês)


Fonte:  Portal da Saúde

(Crédito da Imagem: Hbieser via Pixabay)

5 de April de 2015 às 12:00