Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1461
Italy 4991
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 1536
France 6233
Spain 1041
Ireland 246
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Dia Mundial da Tuberculose

Dia Mundial da Tuberculose

Todos os anos, a 24 de Março, se assinala o Dia Mundial da Tuberculose (TB), um dos grandes desafios de saúde. Em 2013, 9 milhões de pessoas adoeceram com esta doença e 1,5 milhões morreram. Esta data foi escolhida pois foi neste dia, no ano de 1882 que Robert Koch anunciou à comunidade científica que havia descoberto a causa da tuberculose, a bactéria Mycobacterium tuberculosis. Foi o primeiro passo para diagnosticar e curar a tuberculose.

Este dia é uma ocasião para mobilizar compromissos políticos e socias para novos progressos no sentido de eliminar a tuberculose, um grande problema de saúde pública. “Chegar a 3 milhões: alcançar, tratar, curar todos” é o mote escolhido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para as comemorações de 2015. A OMS convida os agentes da saúde e da sociedade civil para num esforço organizado continuar o compromisso de encontrar, tratar e curar os que estão doentes e acelerar o progresso em direcção à meta de acabar com a epidemia e eliminar a tuberculose até 2035.

No âmbito do Dia Mundial da Tuberculose, a Direcção-Geral da Saúde (DGS) elegeu como tema deste ano “Portugal no grupo dos 20 - centrar a atenção nos grandes centros urbanos”. Assim, no passado dia 24 de Março realizou-se uma sessão de apresentação dos dados provisórios da tuberculose em Portugal referentes a 2014, assim como de aspectos relevantes da estratégia para controlo da doença, nomeadamente o objectivo para 2015.

Portugal atingiu, pela primeira vez, uma taxa de incidência da tuberculose abaixo dos 20 casos por mil habitantes. Persiste, no entanto, uma incidência superior à nacional em Lisboa e Porto. Raquel Duarte, adjunta do director do Programa Nacional para a Infecção VIH/SIDA e Tuberculose, considera que “a situação, no global, é positiva, mas a tuberculose continua a ser uma preocupação em Lisboa e Porto e junto das populações mais vulneráveis”, salientando ainda que considera que os resultados positivos não devem fazer esquecer “estas duas velocidades a nível nacional”.

António Diniz, director do Programa Nacional para a Infeção VIH/SIDA e Tuberculose deu a conhecer as medidas a tomar ainda este ano no combate à tuberculose, destacando os protocolos com as câmaras municipais de Lisboa e do Porto, os Serviços Prisionais e o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras. Como exemplo concreto destas medidas, referiu o caso dos estabelecimentos prisionais, onde vão ser feitos rastreios antes de os detidos entrarem nos estabelecimentos prisionais e durante a sua estadia, para evitar surtos que advêm da tuberculose latente.

Fernando Leal da Costa, Secretário de Estado adjunto do ministro da Saúde, presente na sessão, destacou a satisfação do Governo “pela diminuição da incidência desta doença, que permite a Portugal deixar de ser o único país da Europa Ocidental com valores acima dos 20 casos por mil habitantes.” Contudo, destacou o governante, “é necessário continuar o combate à doença, nomeadamente em Lisboa e no Porto e junto das populações mais vulneráveis” sublinhando ainda “que a incidência da tuberculose nos imigrantes é inferior à de outros países europeus, o que se deve à política inclusiva portuguesa, visível no Serviço Nacional de Saúde”.

A apresentação dos dados da tuberculose em Portugal contou ainda com a presença de Francisco George, director-geral da Saúde, e de Fernando Almeida, presidente do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge. Consulte aqui a apresentação da DGS que serviu de suporte à reunião.

Fonte: Portal da Saúde e INSA

(Imagem: Poster do Dia Mundial da Tuberculose, Organização Mundial de Saúde)

28 de March de 2015 às 22:52