Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1461
Italy 4991
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 1536
France 6233
Spain 1041
Ireland 246
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Aumento de pessoas que se recusam a vacinar os filhos pode ser um problema Europeu

Aumento de pessoas que se recusam a vacinar os filhos pode ser um problema Europeu

O diretor do Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) declarou que o aumento de pessoas que recusam a vacinação pode representar um problema para a Europa, onde neste momento há vários casos de sarampo.

Marc Sprenger falava aos jornalistas no final de uma visita a 6 de Março ao Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Instituto Ricardo Jorge), em Lisboa, instituição que já conhecia e onde pode presenciar “a melhoria dos laboratórios”, noticiou a Agência Lusa.

O especialista lembrou que os surtos de sarampo que existem na Europa começaram na Alemanha, em Berlim, porque existem “clusters” de pessoas que se recusam a vacinar os filhos, o que é lamentável porque a vacina é muito importante para prever a doença. “Se estes grupos aumentarem, teremos um problema na Europa”, destacou.

Marc Sprenger enalteceu a elevada taxa de vacinação em Portugal e disse desconhecer a existência no país destes grupos de pessoas que recusam a vacinação dos filhos, muito comuns no seu país (Holanda). As preocupações do diretor do ECDC com o aumento do sarampo extravasam as fronteiras europeias. 

“Uma das consequências do ébola foi a suspensão da vacinação. O que estamos agora a ver é surtos de sarampo na África ocidental, o que são más notícias”, disse realçando que a solução não passa pela obrigatoriedade da vacinação, mas sim por convencer os pais da importância de vacinarem os seus filhos.

No final da visita que realizou ao Instituto Ricardo Jorge, incluindo aos laboratórios de elevada segurança, Marc Sprenger afirmou que Portugal “está bem preparado” para responder a eventuais casos de ébola.

Apesar de algum abrandamento da infeção, registam-se ainda cerca de 40 casos diários, metade dos quais fatais. “Continua a ser um número substancial”, disse, “e é muito importante que a Europa apoie os países da África ocidental a acabar com o surto de ébola”, disse.

Marc Sprenger adiantou que esta diminuição do número de casos é um bom sinal, mas trava o avanço da vacina, que por isso só deverá apresentar resultados finais dentro de alguns meses. “Estamos a testar vacinas, mas podemos testá-las de diferentes formas e a melhor forma seria testar em pessoas que pudéssemos ver que eram os últimos casos, mas isso não é fácil”.

Fonte: INSA

13 de March de 2015 às 17:30