Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1875
Italy 5187
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2591
France 11948
Spain 1057
Ireland 262
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Gripe continua em alta pela Europa

Gripe continua em alta pela Europa

O Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC) publicou a 28 de Janeiro os resultados da análise de risco desta época de gripe sazonal, análise esta que tem como objectivo facultar uma descrição precoce da doença nos primeiros países afectados, e informar as decisões de saúde pública que devem ser implementadas de modo a reduzir o impacto da gripe sazonal em 2015 na Europa.

Segundo esta análise de risco:

- A actividade gripal na Europa começou na última semana de 2014, sem nenhuma progressão geográfica em particular, tendo afectado primeiro a Holanda, Suécia e Inglaterra, seguindo-se depois a Islândia, Malta e Portugal.

- As crianças menores de 5 anos têm sido o grupo etário mais afectado, de acordo com os dados dos cuidados de saúde primários na maioria dos países que reportaram, semelhante ao observado noutras épocas.

- Os casos de síndroma gripal e de infecções respiratórias aguda têm aumentado nos adultos e idosos, em quase todos os países.

- A  maioria dos países primeiramente afectados reportam uma sobrecarga nos serviços de saúde primários, que é maior nesta época do que no pico da epidemia da gripe da época passada.

- Entre os países que reportaram hospitalizações de pacientes com gripe, houve 34 casos que resultaram em morte, dois terços destas em idosos. 

Durante a quarta semana deste ano, 26 países Europeus reportaram um aumento da actividade gripal, e em 48% dos pacientes com sintomas gripais testados laboratorialmente foi confirmada gripe, tal como se tinha registado na semana anterior.

Desde as últimas semanas que se tem observado mortalidade 'por todas as causas' acima do esperado nos indivíduos a partir dos 65 anos de idade, em simultâneo com o aumento da actividade gripal e da prevalência dos vírus A(H3N2), não só em Portugal mas também na Espanha, França, Holanda, e Reino Unido (Inglaterra, Escócia e País de Gales).

Apesar da maioria dos vírus A(H3N2) caracterizados até à data exibirem diferenças genéticas do vírus incluído na vacina anti-gripe do Hemisfério Norte para esta época, continua a ser recomendada a vacinação dos idosos e dos outros grupos de risco, uma vez que se espera que o componente A(H3N2) da vacina induza alguma protecção imunitária cruzada, que pode reduzir a probabilidade de complicações graves em caso de se contrair gripe. 

O Director do ECDC, Dr Marc Sprenger, salientou que "Uma vez que nesta época gripal predomina uma estirpe do vírus A(H3N2) diferente da incluída na vacina, é esperado que ocorram casos mais severos de gripe, principalmente entre os idosos e os que pertencem a um grupo de risco médico. Como tal, é de extrema importância que os médicos pela Europa fora considerem utilizar antivirais para fazer tratamento e profilaxia pós-exposição, principalmente destes pacientes", para prevenir que sofram de gripe mais severa. Os vírus em circulação são susceptíveis aos antivirais oseltamivir (mais conhecido por Tamiflu) e zanamivir.

Adaptado de ECDC e Flu News Europe por Ana Franco e Vitor Faustino.

Imagem: Durante a quarta semana de 2015, Portugal foi dos países da Europa com intensidade de gripe mais elevada, juntamente com Itália e Bélgica. (Fonte: ECDC)

29 de January de 2015 às 23:40