Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 2385
Italy 5492
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2651
France 9437
Spain 1063
Ireland 262
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

H7N9 adapta-se bem em porcos

H7N9 adapta-se bem em porcos

Cientistas chineses quiseram saber como o H7N9 (um vírus da gripe aviária) se comportava em porcos (um outro importante reservatório de vírus Influenza, onde vírus aviários e humanos se costumam 'reinventar'). As conclusões foram publicadas na revista Virology, numa ‘brief communication’ intitulada ‘Rapid adaptation of avian H7N9 virus in pigs’. E não são animadoras.

Como o vírus da gripe aviária H7N9 ganhou uma habilidade distinta para infectar os seres humanos não está ainda claro. Os porcos são um hospedeiro importante na ecologia do vírus da gripe, porque são susceptíveis à infecção com vírus quer da gripe aviária quer humana e estão frequentemente envolvidos na transmissão entre espécies (são uma espécie de ‘misturador’). Foi o que aconteceu em 2009, com a célebre gripe A (H1N1), que ficou conhecida como ‘suína’.

Agora, os investigadores inocularam, em porcos, um vírus isolado de gripe aviária (H7N9) e um vírus isolado de gripe humana para examinar a adaptação do mamífero hospedeiro ao H7N9. O vírus da gripe aviária replicou-se de forma acentuada após apenas uma ‘passagem’, enquanto o vírus da gripe humana replicou-se mal, mesmo depois de três ‘passagens’ pelos pulmões dos suínos. Na análise de sequência encontraram nove substituições nos segmentos HA, NA, M e NS do vírus aviário, o que aumentou a afinidade de ligação para receptores do tipo humano. Estes resultados indicam que o vírus da gripe aviária H7N9 pode-se adaptar facilmente a suínos, que, por sua vez, podem actuar como um hospedeiro intermediário importante para o rearranjo e a transmissão de vírus novos.

20 de February de 2014 às 15:15