Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 2385
Italy 5492
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2651
France 9437
Spain 1063
Ireland 262
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Vacina contra tuberculose vai a testes

Vacina contra tuberculose vai a testes

Uma nova vacina contra a tuberculose poderá ser brevemente testada em humanos, preveem os resultados de uma pesquisa desenvolvida por cientistas de 35 organizações mundiais de investigação e desenvolvida com o apoio da União Europeia, revelou ontem a Horizon-Magazine.

Segundo a publicação da União Europeia, a potencial vacina contra a doença, que anualmente mata 1,3 milhão de pessoas no mundo, está a ser desenvolvida por cientistas do Reino Unido, Alemanha, Argentina e Coreia do Sul. O projeto, que deverá terminar no dia 28 de fevereiro, está centrado nas formas de bloqueio da transmissão da doença, bem como na prevenção da infeção latente para que esta não se transforme numa verdadeira tuberculose.

O projeto descobriu cerca de 40 potenciais vacinas de tuberculose, das quais quatro foram legalmente certificadas para início de testes em seres humanos.

Ouvido pela Lusa, o diretor do programa nacional de tuberculose em Moçambique, Ivan Matsinhe, considerou que a descoberta de uma vacina seria “uma grande vantagem” para países como Moçambique que integra a lista dos 22 estados que a nível mundial contribuem para 80% da doença.

Anualmente, Moçambique deteta cerca de 50 mil casos de tuberculose e, a nível mundial, 3,5 milhões de pessoas são diagnosticadas com novos casos da doença, segundo o responsável pelo programa de tuberculose no país.

Moçambique ainda não tem uma vacina profilática para a tuberculose, possuindo somente a BCG (Bacilo Calmette-Guérin), vacina utilizada para a prevenção da tuberculose, que é administrada em crianças, conferindo alguma proteção em relação ao desenvolvimento de formas maios graves da epidemia.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, na União Europeia, sete pessoas morrem por hora devido a tuberculose e cerca de um terço da população mundial está infetada com o bacilo de Koch.

“As novas vacinas são a única solução sustentável que pode ter um impacto significativo no combate à epidemia global da tuberculose”, considerou o diretor da Iniciativa Vacina para Tuberculose (TBVI, na sigla em inglês), Jelle Thole, citado no artigo da Horizon-Magazine da União Europeia.

Adaptado de Lusa

13 de February de 2014 às 16:59