Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 2385
Italy 5492
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2651
France 9437
Spain 1063
Ireland 262
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Epidemia: desce na América do Norte, sobe na Europa e Ásia

Epidemia: desce na América do Norte, sobe na Europa e Ásia

O retrato global da atividade gripal, fornecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) na sua última atualização, a 10 de Fevereiro, apresenta uma diminuição dos níveis de gripe na América do Norte e aumento na Europa e partes da Ásia.

A atividade da gripe diminuiu no Canadá e nos Estados Unidos nas últimas semanas , mas aumentou no México, com o vírus H1N1pdm2009 como predominante.

A gripe continuou a aumentar na Europa, em especial nas regiões do sul, com circulação quer do H3N2 quer do H1N1pdm2009, disse a agência.

Na Ásia central e ocidental , o aumento da atividade por H3N2 foi relatado pelo Irão, Jordânia , Paquistão e Turquia, mas a atividade permaneceu baixa no resto da região . Enquanto isso, na Ásia oriental, o número de casos manteve-se baixo no geral, mas a atividade foi elevada no sul e no norte da China e registou-se um aumento na Mongólia e Coreia. O H1N1pdm2009 tem sido, geralmente, o vírus predominante.

Por seu turno, a atividade gripal nas regiões tropicais variou , mantendo-se baixa no hemisfério sul.

Entre 12 e 25 de janeiro, os laboratórios de gripe afiliados na OMS, em 97 países, testaram 68.458 amostras respiratórias , das quais~/media/cms_page_media/newsletters/2013_14/n13 19.547 (28,6%) foram positivas para a gripe. Das amostras positivas, 92% eram influenza tipo A e 8% eram influenza tipo B.

Entre os vírus do tipo A que foram subtipados, 79,8 % eram H1N1pdm2009 e 20,2 % eram H3N2 , informa a OMS. Numa única amostra foi identificado H5N1 (gripe aviária).

O boletim da OMS: http://who.int/influenza/surveillance_monitoring/updates/latest_update_GIP_surveillance/en/index.html

13 de February de 2014 às 16:59