Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1581
Italy 4838
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 1350
France 6220
Spain 0
Ireland 354
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Experiências com vírus causadores de pandemias suspensas para avaliação dos riscos e benefícios

Experiências com vírus causadores de pandemias suspensas para avaliação dos riscos e benefícios

Na sequencia de incidentes de biossegurança ocorridos este Verão em laboratórios Americanos, os Estados Unidos da América suspenderam recentemente as experiências que possam potenciar o contágio e/ou a doença causada por vírus da Gripe.

Este tipo de investigação é conhecida por 'ganho-de-função', e tem sido realizada com o objectivo de melhor entender os mecanismos que diferentes agentes infecciosos utilizam para causar doenças, de modo a tentar desenvolver antecipadamente uma possível cura.

Por exemplo, tem havido uma tendência crescente em criar mutações no vírus da Gripe Aviária (Influenza A/H5N1) que o tornam mais letal para os humanos e com uma propagação mais rápida. Nomeadamente, houve dois estudos que reportaram a criação de um vírus da Gripe Aviária com mutações que o tornam mais potente e transmissível em furões pela via respiratória. No entanto, a transmissão entre estes mamíferos é considerada um modelo de transmissão entre humanos. Como tal, os vírus que são modificados para serem mais transmissíveis entre furões serão provavelmente também transmissíveis pelas vias respiratórias entre humanos, o que é um pré-requisito para causar uma pandemia. Aliado à capacidade que estes vírus têm de causar doença em humanos, este 'ganho-de-função' deu origem a um debate, devido aos potenciais riscos e inerentes preocupações éticas.

A suspensão actualmente em vigor afecta experiências 'ganho-de-função' não só com vírus da Gripe, mas também com vírus da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SARS) e da Síndrome Respiratório do Médio Oriente (MERS-CoV). Nomeadamente, a suspensão aplica-se a todos os projectos de investigação que possam aumentar a capacidade destes vírus serem transmitidos pelos ar e/ou causarem doença, dado o elevado risco que tal poderá causar à saúde pública e animal, à escala nacional e global, se estes agentes infecciosos potenciados escaparem dos laboratórios (acidentalmente ou intencionalmente).

Estes estudos estão suspensos até que termine um processo de avaliação dos potencias riscos e benefícios associados com este tipo de investigação. A avaliação em curso irá dar origem à elaboração e adopção de uma regulamentação sobre os estudos 'ganho-de-função', prevista para 2015.

“São notícias realmente excelentes, pois penso que é do senso comum deliberar antes de agir” afirmou à revista Nature o Professor Marc Lipsich, investigador da Universidade de Harvard, que desde há muito tempo defende a necessidade de regulamentação adequada das experiências 'ganho-de-função' de agentes infecciosos que podem causar pandemias.

Marc Lipsich apresentou recentemente um seminário sobre esta temática no Instituto Gulbekian de Ciência, por ocasião de ter sido um dos júris da primeira tese de Doutoramento sobre o Gripenet. O seminário, intitulado “Alternativas éticas às experiências que visam a criação de agentes patogénicos potencialmente pandémicos”, abordou os riscos e benefícios deste tipo de experiências, apresentando alternativas mais seguras, assim como uma base ética na qual estas experiências deveriam ser avaliadas.

Mais informação: Notícia na Nature ; Artigo do Prof. Marc Lipsich na Plos Medicine

Ana Franco

27 de November de 2014 às 18:00