Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1877
Italy 5195
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2597
France 12202
Spain 1058
Ireland 262
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Os telómeros e a gripe

Os telómeros e a gripe

Uma investigação desenvolvida na Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, encontrou uma explicação para o facto de algumas pessoas ficarem ‘engripadas’ com muita facilidade, enquanto outras dificilmente adoecem com o vírus da gripe. De acordo com o estudo, isso deve-se a uma diferença no tamanho dos telómeros, uma estrutura presente nas extremidades do cromossoma que ajuda a proteger uma sequência de DNA. Toda a vez que um cromossoma é replicado para que a divisão celular ocorra, os telómeros encurtam – e esse encurtamento tem sido visto por diversos cientistas como um marcador biológico do envelhecimento. Este novo trabalho revelou que telómeros menores também aumentam as possibilidades de uma pessoa ficar ‘engripada’ ou constipada.

Os telómeros funcionam como um protector para os cromossomas, assegurando que a informação genética (DNA) relevante seja perfeitamente copiada quando a célula se duplica.

O estudo foi publicado no The Journal of The American Association (JAMA). De acordo com Seldon Cohen, coordenador da investigação, os telómeros são essenciais para que os cromossomas não se desgastem. Embora os telómeros estejam presentes nos cromossomas de todas as nossas células, a pesquisa de Cohen identificou que apenas o tamanho dos telómeros dos linfócitos T, que são as células do nosso sistema imunológico, interfere no risco de um indivíduo apresentar sintomas da gripe. 

O investigador e a sua equipa chegaram a essa conclusão após expor, por via nasal, 152 pessoas saudáveis (entre os 18 e os 55 anos) a um vírus da gripe. Os autores monitorizaram o surgimento dos sintomas nos participantes durante os cinco dias seguintes e também mediram o tamanho dos telómeros dos participantes.

Observaram que, enquanto 13% dos participantes cujos telómeros das células T eram os mais longos apresentaram sintomas da gripe, essa prevalência foi de 26% — ou seja, o dobro — entre aqueles que tinham os telómeros mais curtos. 

O resultado é, segundo Cohen, algo novo e provocatório, mas o estudo ainda não tem nenhuma implicação imediata na prática clínica, já que mais pesquisas precisam ser feitas para entender de que forma é possível alterar a ação dos telómeros para impedir o surgimento de doenças.

Também não se sabe o que leva pessoas da mesma idade a apresentarem tamanhos diferentes de telómeros – é possível, afirmam os autores, que algum factor genético interfira nessa característica e, consequentemente, seja responsável por tornar alguém mais vulnerável às gripes.

24 de February de 2013 às 21:50