Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 1875
Italy 5187
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2591
France 11948
Spain 1057
Ireland 262
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Vacina de idosos em Portugal: mensagem não passa

Vacina de idosos em Portugal: mensagem não passa

As pessoas com mais de 65 anos praticamente deixaram de se vacinar contra a gripe desde final de Novembro, porque pensam erradamente que a partir dessa altura a vacinação não é eficaz, defendeu esta quarta-feira o pneumologista Filipe Froes.

De acordo com os dados do Vacinómetro, ontem divulgado, no último mês e meio apenas se vacinaram cerca de 43 mil pessoas. Este número evidencia “um ganho mínimo”, segundo Filipe Froes, já que entre Outubro e Novembro foram 869 mil as pessoas com idade igual ou superior a 65 anos que se vacinaram, ou seja, 20 vezes mais do que desde o final de Novembro até agora.

“As pessoas mais idosas interiorizaram que a vacina só se faz em Outubro e Novembro e pensam erradamente que depois de Novembro já não vale a pena, quando na verdade a vacina é eficaz durante todo o Outono e Inverno”, afirmou Filipe Froes, consultor da Direcção-Geral da Saúde (DGS) para a gripe.

O pneumologista reconhece que este é um dos aspectos em que é preciso actuar e lembrou os casos recentes de internamento por gripe, um deles nos cuidados intensivos, revelados pela DGS.

Os estudos do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) já apontavam que mais de 95% da vacinação se fazia nos meses de Outubro e Novembro. Esta quebra abrupta na vacinação agora verificada, juntamente com o facto de terem sido os profissionais de saúde quem mais aumentou a vacinação - “são os que sabem que se podem vacinar depois de Novembro” – vêm comprovar que a informação à população está a falhar neste aspecto, explicou.

No final de Novembro tinham-se vacinado 37,3% dos profissionais de saúde e profissões de risco, percentagem que subiu para os 54,3%, sendo actualmente o grupo com maior percentagem de vacinados.

“Enquanto não sairmos da época gripal é sempre possível beneficiar da vacina”, sublinhou, apontando que neste momento apenas 50% das pessoas com mais de 65 anos estão vacinadas.

Ou seja, há 50% de possíveis candidatos a serem vacinados e beneficiados com a vacina, que continua disponível quer nos centros de saúde quer nos circuitos comerciais, lembrou.

Filipe Froes revela ainda que apenas dois terços destas pessoas se vacinaram no centro de saúde, o que pode ser demonstrativo de que um terço não sabia que a vacinação no centro de saúde é gratuita.

O Vacinómetro foi criado pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) e a Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral (APMCG) para monitorizar em tempo real a taxa de cobertura da vacinação.

Texto adaptado de Lusa
Foto de Ricardo Fortunato/Arquivo JPN

Os dados do Vacinómetro podem ser consultados aqui

17 de January de 2013 às 22:12