Influenzanet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet

http://www.influenzanet.info/

Epiwork Logo
Developing the framework for an epidemic forecast infrastructure.
http://www.epiwork.eu/

The Seventh Framework Programme (FP7) bundles all research-related EU initiatives.

7th Framework Logo
Participating countries and volunteers:

The Netherlands 0
Belgium 0
Portugal 2390
Italy 0
Great Britain 0
Sweden 0
Germany 0
Austria 0
Switzerland 2660
France 6077
Spain 1063
Ireland 0
InfluenzaNet is a system to monitor the activity of influenza-like-illness (ILI) with the aid of volunteers via the internet. It has been operational in The Netherlands and Belgium (since 2003), Portugal (since 2005) and Italy (since 2008), and the current objective is to implement InfluenzaNet in more European countries.

In contrast with the traditional system of sentinel networks of mainly primary care physicians coordinated by the European Influenza Surveillance Scheme (EISS), InfluenzaNet obtains its data directly from the population. This creates a fast and flexible monitoring system whose uniformity allows for direct comparison of ILI rates between countries.

Any resident of a country where InfluenzaNet is implemented can participate by completing an online application form, which contains various medical, geographic and behavioural questions. Participants are reminded weekly to report any symptoms they have experienced since their last visit. The incidence of ILI is determined on the basis of a uniform case definition.

Hide this information

Gripe aviária ressurge no Nepal

Gripe aviária ressurge no Nepal

Poucos meses após o Governo ter declarado o Nepal livre da gripe aviária, vários casos de gripe das aves foram confirmados no vale nepalês. Mais de 500 galinhas foram abatidas na área de Bhaktapur, logo que foram confirmados os casos pelas autoridades sanitárias, noticiou o jornal ‘Nepalnews’. Os residentes vinham a relatar numerosos casos de mortes em patos e galinhas. A confirmação foi feita através do Central Veterinary Disease Control Laboratory, que enviou amostras para um laboratório internacional de referência, no Reino Unido, pois o país não dispõe de meios em casos destes.

A 13 de Julho, o Governo nepalês tinha declarado o país livre de gripe das aves; a indústria aviária tinha sido severamente afetada com os surtos de 2010. De acordo com a FAO, o primeiro surto no Nepal ocorreu em Janeiro de 2009 e só no ano passado surgiram oito surtos, o último em outubro. Não há registo de casos de gripe aviária em humanos, naquele país no sopé dos Himalaias.

Entretanto, nas redes sociais ‘explodiram’ os comentários fortemente críticos às experiências relatadas no número de setembro da revista ‘New Scientist’, em que se dava conta de que investigadores holandeses, do Erasmus Medical Centre, de Roterdão, teriam, facilmente, conseguido cinco mutações genéticas do H5N1, o mais letal dos vírus aviários. O objetivo é conseguir uma vacina antes que o vírus ganhe capacidade para se transmitir entre humanos. As estirpes manipuladas transmitiram-se entre mamíferos de laboratório (furões). Contudo, os especialistas dividem-se sobre se pode haver um paralelo entre humanos. No ‘Twitter’ dispararam as teses alarmistas, de que poderá surgir uma pandemia incontrolável caso os vírus manipulados se escapem do laboratório.

O artigo da New Scientist que desencadeou a polémica: http://bit.ly/pQOqOH

27 de November de 2011 às 06:33